Paul Manafort, ex-chefe da campanha de Trump, vai se declarar culpado em duas acusações de Robert Mueller, diz imprensa

Mundo

Acusações são por conspiração contra os EUA e obstrução de Justiça. Manafort deve comparecer a uma corte federal no final da manhã desta sexta. Paul Manafort, ex-chefe da campanha de Trump
Reuters/James Lawler Duggan
O ex-chefe da campanha do presidente Donald Trump, Paul Manafort, vai se declarar culpado em duas acusações que enfrenta na investigação do promotor especial Robert Mueller, segundo documentos de uma corte federal consultados pela agência de notícias Reuters e o canal NBC. Manafort deve comparecer a uma corte federal no final da manhã desta sexta.
Segundo esses documentos, ele vai se declarar culpado em uma acusação de conspiração contra os Estados Unidos e em outra, por obstrução de Justiça.
Com o acordo para se declarar culpado, Manafort evitaria um segundo julgamento. Não está claro se o acordo inclui que ele coopere com a investigação de Mueller.
Em agosto, Manafort foi condenado por oito das 18 acusações de fraude bancária e fiscal que enfrentou num tribunal na Virgínia. Ele foi condenado em cinco acusações de apresentação de declarações fiscais falsas, uma acusação por não declarar contas no exterior e por duas acusações relacionadas a fraudes bancárias.
Manafort ganhou milhões de dólares trabalhando para políticos ucranianos pró-Rússia antes de receber um cargo não remunerado na campanha de Trump. Ele fez parte da equipe de campanha durante cinco meses e a comandava em meados de 2016, quando Trump foi escolhido como o candidato republicano para a eleição presidencial.
As 18 acusações no julgamento de Manafort centraram-se nas finanças pessoais de Manafort e têm pouco a ver com o mandato do procurador especial Robert Mueller para investigar a interferência russa na eleição presidencial americana.