Donald Trump diz que Montenegro na Otan pode causar Terceira Guerra Mundial: ‘povo agressivo’

Mundo

Presidente dos Estados Unidos falava sobre cláusula de defesa mútua da Otan em entrevista a Fox News. Ex-república da Iugoslávia é inimiga política da Rússia. Trump empurra premiê de Montenegro em encontro em maio
Reprodução
O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que a presença de Montenegro na Otan pode desencadear uma “Terceira Mundial”. Em entrevista à rede de televisão norte-americana Fox News, veiculada nesta quarta-feira (18), Trump comentou que o pacto de defesa mútua da aliança militar poderia levar a “população muito agressiva” do pequeno país europeu a começar um novo conflito global.
“Você sabe, Montenegro é um minúsculo país com pessoas muito fortes. Eles são um um povo muito agressivo, eles podem ficar agressivos e — parabéns — você está na Terceira Guerra Mundial”, afirmou Trump, sorrindo.
O assunto entrou em pauta na entrevista quando o apresentador Tucker Carlson questionou a adesão de Montenegro à Otan. A ex-república iugoslava se separou da Sérvia apenas em 2006 e, no ano passado, passou a integrar a organização militar.
Presidente dos EUA, Donald Trump, participa de coletiva de imprensa após participar de cúpula da Otan, em Bruxelas
Yves Herman/ Reuters
O artigo 5 da cláusula de defesa comum da Otan estabelece que um ataque contra um dos membros é uma ação contra todos. Ou seja, se um país ataca Montenegro, os Estados Unidos — também integrantes da organização — também se declaram agredidos.
E, sobre isso, Carlson indagou:
“Se, por exemplo, atacarem Montenegro, por que meu filho deveria ir a Montenegro para defendê-los?”
“Eu também estive pensando sobre isso”, respondeu Trump.
Trump, que criticou duramente a organização durante a campanha eleitoral, modificou o tom nas últimas semanas e tem insistido em seu compromisso “com uma Aliança não é só de interesses compartilhados, mas também de valores compartilhados”, segundo um comunicado divulgado pela Casa Branca.
A entrevista foi gravada quando o presidente dos Estados Unidos ainda estava na Finlândia para encontro com o chefe de estado da Rússia, Vladimir Putin.
Donald Trump ‘empurra’ premiê de Montenegro durante encontro da Otan
Em maio, Trump se envolveu em polêmica com Montenegro ao aparecer empurrando o premier montenegrino, Dusko Markovic, em reunião da Otan em Bruxelas.
Reações ao comentário
Novo edifício-sede da Otan em Bruxelas
Reuters/François Lenoir
A fala causou desconforto até entre políticos republicanos, do mesmo partido de Trump. “Ao atacar Montenegro e questionar nossas obrigações dentro da Otan, o presidente faz exatamente o jogo de Putin”, lamentou o senador republicano John McCain no Twitter.
O general aposentado dos Estados Unidos Wes Clark, ex-comandante dos Aliados da Otan, também usou a rede social para repudiar a declaração de Trump. “Eu sei que o Artigo 5º existe para prevenir guerra. Por isso ele só foi invocado uma vez — depois do 11 de setembro. Montenegro ainda está enviando tropas ao Afeganistão, por nós”, escreveu.
Initial plugin text
“Montenegro está sob contínua pressão da Rússia há mais de uma década. A Rússia até tentou assassinar o presidente [montenegrino]. Os comentários de Trump enfraquecem a Otan, dão Rússia uma licença para causar encrenca e, então, realmente aumentar o risco de um novo conflito nos Bálcãs”, completou o general Clark, referindo-se a uma tentativa de golpe de estado planejado por militantes pró-russos em 2016.
A representante montenegrina na ONU, Milica Pejanovic, agradeceu o militar norte-americano e disse que Montenegro “contribui para a paz e a estabilidade global”.
Initial plugin text
O comentário de Donald Trump, porém, não gerou nenhuma reação do governo de Montenegro até o momento.
Entenda o caso
Montenegro
TV Globo
Montenegro, uma ex-república iugoslava com população de cerca de 630 mil habitantes, aderiu à Otan no ano passado, tornando-se o 29º membro da organização. Seu Exército tem apenas 2 mil homens.
A integração à organização desta pequena república da Iugoslávia comunista incomodou a Rússia, que considera “uma provocação”.
Moscou tem sido acusado de interferir nas eleições de Montenegro e um fracassado golpe de Estado foi supostamente planejado por militantes pró-Rússia. Os russos, inclusive, são aliados da Sérvia, de quem os montenegrinos se separaram em 2006.
Com a incorporação de Montenegro, a Otan controla todo o litoral norte do Mediterrâneo, desde o estreito de Gibraltar até a fronteira entre a Turquia e a Síria.