Carteiras para identificar autistas começam a ser expedidas; 28 mil têm o transtorno no AP

Brasil

Pessoas com autismo relatam que sem a documentação é difícil comprovar a condição e receber o atendimento adequado. Documento também oferece benefícios como prioridade e meia-entrada. Irmãos Carlos Henrique (à esquerda), Carlos Éder (à direita) e a avó Carmem Silvia Oliveira são beneficiados com a carteira
Carlos Alberto Jr/G1
Há pouco mais de um mês, a central de atendimentos SuperFácil da Zona Oeste de Macapá iniciou o serviço de emissão de carteiras de identificação do autista. Além de registrar, o documento, no âmbito estadual, oferece um pacote de benefícios às pessoas com o transtorno e seus representantes legais.
O benefício, que faz parte do pacote de ações de inclusão e proteção às Pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA), busca facilitar a comprovação e identificação da pessoa com autismo no Amapá. Segundo o governo, 28 mil pessoas no estado têm o transtorno.
Entre os benefícios estão: a isenção no pagamento do IPVA; prioridade na fila de bancos, supermercados e lojas; redução de 50% na duração da carga horária de servidor público estadual e meia-entrada às sessões de cinema, teatro, competições esportivas, shows e outros eventos culturais exibidos nas salas e casas de espetáculos instaladas no estado.
Funcionários públicos e beneficiários, os irmãos gêmeos Carlos Henrique e Carlos Éder, de 20 anos, relatam que, sem a carteira, era muito difícil comprovar a condição e receber o atendimento adequado.
“Assim fica mais fácil, é só uma carteira que cabe no bolso. Isso facilita a minha vida, assim como a do meu irmão e da minha avó”, contou Éder.
Responsáveis legais pela pessoa com TEA também são beneficiados pela carteira
Carlos Alberto Jr/G1
A avó dos irmãos, Carmem Silvia Oliveira, conta que esse benefício serve, além de identificar os netos, também para garantir algo que é fundamental no desenvolvimento deles: o entretenimento.
“Ir para o cinema, ver uma peça, um show. Essas coisas, que podem parecer tão simples, são muito importantes para o desenvolvimento de jovens com autismo, porque mostra que eles podem sim estar no mesmo espaço que qualquer outra pessoa”, disse Carmem, que também é beneficiária da carteira por ser representante legal dos irmãos.
Para solicitar o documento, o responsável ou representante legal deve se dirigir à unidade SuperFácil da Zona Oeste portando seus documentos pessoais e da pessoa com TEA, sendo cópias e originais do RG; CPF; comprovante de residência; laudo médico emitido pelo SUS ou por instituição conveniada; e duas fotos 3×4 atuais e com fundo branco. Os atendimentos acontecem de segunda a sexta, das 8h às 18h.
Atualmente, a unidade da Zona Oeste é a única que o serviço pode ser solicitado. Mas, de acordo com Luzia Grunho, diretora geral do SuperFácil, em cerca de dois meses, todas as unidades do estado passarão a ofertar.
“São cerca de 60 mil famílias que vivem aqui na Zona Oeste e 27 carteiras já foram expedidas em pouco tempo. Percebemos que é um serviço que muitas pessoas procuram, por isso estamos nos planejando para que todas as unidades do estado passem a oferecer o serviço”, ressaltou.
Nova unidade do SuperFácil fica no bairro Cabralzinho
Dyepeson Martins/Rede Amazônica
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!