Mercado baixa para R$ 149,6 bilhões estimativa de rombo nas contas do governo em 2018

Economia
Valor é inferior à meta que o governo tem para este ano, que é de déficit (resultado negativo) de até R$ 159 bilhões. Analistas elevaram a previsão de déficit em 2019 para R$ 123,3 bilhões. Analistas de instituições financeiras reduziram a previsão para o déficit primário das contas públicas neste ano para R$ 149,642 bilhões. A previsão está no mais recente levantamento feito pelo Ministério da Fazenda, divulgado nesta quinta-feira (12) dentro do chamado “Prisma Fiscal”.
No levantamento anterior, divulgado em junho, os economistas previam que o rombo das contas públicas neste ano ficaria em R$ 151,192 bilhões.
O rombo, ou déficit primário, é o valor em que as despesas do governo superam as receitas com impostos e tributos em um ano. Por ser primário, ele não considera os gastos com pagamento dos juros da dívida pública.
Apesar de negativa, a estimativa do mercado financeiro é inferior à meta para o resultado das contas públicas que o governo precisa perseguir neste ano, e que está autorizada pelo Congresso: rombo de até R$ 159 bilhões.
Isso significa, portanto, que os analistas creem que o governo vai conseguir cumprir a meta fiscal de 2018.
Para 2019, o mercado financeiro aumentou a previsão de déficit de R$ 117,875 bilhões para R$ 123,288 bilhões a previsão para o rombo das contas públicas. Apesar da alta, a nova estimativa segue abaixo da meta fiscal do governo para o ano que vem, de déficit primário de até R$ 139 bilhões.