Justiça quebra sigilo de e-mails de Crespo, ex-assessora e ex-corregedor da Prefeitura de Sorocaba

São Paulo

Pedido foi feito pelo Ministério Público e acatado. Advogado de Crespo e Tatiane Polis afirma que o prefeito não acobertou nenhuma suposta ilegalidade; ex-servidora é suspeita de usar documentos falsos. Justiça acatou quebra de sigilo de e-mail de Crespo
Reprodução/TV TEM
A Justiça acatou um pedido do Ministério Público do Estado de São Paulo e decretou a quebra de sigilo de e-mails do prefeito José Crespo (DEM), da ex-assessora Tatiane Polis – suspeita de usar um documento falso que gerou uma confusão no Executivo em 2017 – e do ex-corregedor da Prefeitura de Sorocaba, Gustavo Barata.
Entenda a polêmica entre Crespo, a vice e a ex-assesora
Segundo o MP, dois servidores de e-mails terão cinco dias, a contar da intimação, para fornecer o conteúdo trocado entre os três no prazo de primeiro de janeiro de 2017 até o dia do cumprimento da decisão.
A defesa de Crespo e Tatiane Polis afirmou à TV TEM que o prefeito não acobertou qualquer suposta ilegalidade e que não será encontrado nenhum indício de fraude.
O advogado entrou com recurso no Tribunal de Justiça, alegando que a decisão viola o sigilo de comunicação. O ex-corregedor não foi localizado para comentar o caso.
A multa, caso os servidores do Google e da Microsoft não cumpram a determinação judicial, é de R$ 30 mil por dia, não podendo ultrapassar o valor de R$ 500 mil.
As empresas terão que enviar ao Ministério Público do Estado de São Paulo todos os e-mails arquivados em seus servidores, como mensagens enviadas, recebidas, na lixeira, apagadas, rascunho e outras criadas.
O pedido judicial de quebra de sigilo foi feito pelo promotor Orlando Bastos Filho como parte de uma investigação que está em andamento no MP de São Paulo e que apura se o prefeito José Crespo e o ex-corregedor Gustavo Barata teriam defendido os interesses da ex-assessora Tatiane Polis no arquivamento de uma denúncia feita pela vice-prefeita Jaqueline Coutinho.
A ex-assessora foi acusada de usar um diploma falso para ocupar um cargo na Prefeitura de Sorocaba.
Tatiane Polis é ex-assessora de Crespo
Reprodução/TV TEM
Período conturbado
O ano de 2017 foi polêmico para a política sorocabana. A primeira confusão entre a vice, o prefeito e a ex-assessora veio à tona em junho.
O caso chegou ao público após uma postagem na internet da mãe da vice-prefeita, Jaqueline Coutinho, que relatou uma briga ocorrida no gabinete do sexto andar. O motivo seria o uso de um diploma falso.
A vice-prefeita disse que foi agredida verbalmente por Crespo após ter denunciado a falta de diploma de Tatiane, que era funcionária comissionada da prefeitura, durante uma reunião.
O caso foi o estopim para que Crespo tivesse o mandato cassado na época, ficando afastado do cargo por mais de 40 dias. A situação ainda é apurada pela Justiça, que ouve todos os envolvidos.
Confusão entre vice e prefeito ocorreu por susposto uso de documento falso de assessora
Divulgação
Veja mais notícias da região no G1 Sorocaba e Jundiaí