Boa fase do Brasil na Copa do Mundo impulsiona vendas no comércio de Porto Velho

Brasil

Vendas de televisores já registram crescimento de cerca de 45%. Camisetas, bandeirinha e adereços em verde e amarelo são a maior procura do consumidor. Avanço da Seleção Brasileira na Copa do Mundo impulsiona comércio na capital.
Cássia Firmino/G1
Os avanços da Seleção Brasileira na Copa do Mundo da Rússia têm aquecido as vendas do comércio em Porto Velho.
A estimativa de crescimento nas vendas é de cerca de R$ 8 milhões em comparação com a Copa de 2014, segundo a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Rondônia (Fecomércio/RO).
Somente no setor de vendas de televisores, o crescimento já é de cerca de 45% antes mesmo do mundial acabar. Nas vitrines do comércio local, as cores da seleção são vistas em bandeirinhas, camisetas e adereços.
Para o comerciante Francisco Pinheiro, que trabalha com vendas de artigos esportivos há mais de 27 anos, a procura pelas camisetas da seleção tem sido grande.
“Já vendi mais de mil camisas. As mulheres estão procurando bastante. Das que eu tenho aqui, a que mais vende é a do Neymar”.
A procura em algumas lojas foi impulsionada pela vitória do Brasil. “O lote que recebemos era de aproximadamente 600 camisetas, mas conforme o Brasil foi ganhando, tivemos que renovar”, conta o analista de marketing, Jairo Marques.
Camisetas com os números e nomes dos jogadores são os produtos de maior procura por torcedores.
Cássia Firmino/G1
Um exemplo disso são os filhos do professor Fabrício Marinho. Para torcer pela seleção, eles pediram as camisetas dos jogadores de presente ao pai. “Deixei para comprar agora porque eles se interessaram. A gente têm buscado em algumas lojas por um produto de boa qualidade”, explicou.
Adereços e bandeirinhas
Além dos setores de confecções e eletrônicos, os vendedores de adereços e bandeirinhas também têm notado melhora nas vendas.
Outra opção de maior venda são adereços e bandeirinhas com as cores do Brasil.
Cássia Firmino/G1
Mesmo com o crescimento das áreas comerciais na cidade, Maria Nelma, que trabalha com a venda de bandeirinhas na Avenida 7 de Setembro desde a Copa de 1990, já registra mais de 200 vendas.
“A melhor Copa para vendas foi a 94 e a de 2002. Até agora, eu vendi mais de 200 bandeirinhas. Se avançar para as finais, acredito que podemos vender umas 800”, contou a comerciante.
De acordo com a Fecomércio de Rondônia, a melhora nas vendas é um reflexo do crescimento da Intenção de Consumo das Famílias (ICF) de Porto Velho. Em junho, registrou 94 pontos, configurando o maior nível até então.
“Depois da greve dos caminhoneiros, é positivo notar que o consumo está aumentando com as vendas da Copa do Mundo. Esperamos que, com a seleção avançando, as pessoas fiquem motivadas e animadas, o que deve gerar uma expectativa boa para o restante do ano”, ressaltou o presidente da Fecomércio, Raniery Coelho.
*Cássia Firmino, estagiária sob supervisão de Mayara Subtil.