Orçada em R$ 143 mil, construção de campo de futebol comunitário está parada há 2 anos em Ribeirão Preto

São Paulo

Obra em parceria da Prefeitura com o Governo Federal teve início em junho de 2016 e deveria ter sido concluída três meses depois. Área foi demarcada e limpa, mas apenas vestiário foi erguido. Construção de campo de futebol comunitário segue parada há 2 anos em Ribeirão Preto
Há dois anos, moradores do Jardim Professor Antônio Palocci, em Ribeirão Preto (SP), esperam pela construção de um campo de futebol comunitário. Orçado em R$ 143 mil, o projeto é uma parceria da Prefeitura com o Governo Federal. A verba já foi liberada, mas no lugar do gramado verde, há apenas terra e um amontoado de tijolos.
Procurada pelo Jornal da EPTV, a administração municipal não se manifestou sobre o caso.
“Era para ser um campo. Em 2016, vieram, fizeram até a terraplanagem, a demarcação e depois sumiram. Não apareceu mais ninguém. Depois, no ano passado, vieram, fizeram essa casinha e sumiram de novo”, reclama Graziela Beline Gomes, diretora da associação do bairro.
Localizado na Rua Alcides de Araújo, em frente à Escola Municipal de Educação Infantil (Emei) Doutor José Carlos Sobral, o terreno destinado ao campo de futebol está desocupado há muitos anos, segundo relato de Graziela. O campo foi demarcado, mas a obra não teve início.
Terreno onde deveria ser construído campo de futebol em Ribeirão Preto
Maurício Glauco/EPTV
No local, há uma placa informando que a obra teve início em junho de 2016 e deveria ter acabado três meses depois. Mas, até agora, pouca coisa mudou: a terraplanagem foi realizada e o vestiário erguido. No restante do espaço, estão pilhas de blocos de concreto.
“Esse ano, estava cheio de mato. Vieram meses atrás, fizeram a limpeza de novo e sumiram. Estamos precisando de um campo para a criançada brincar. É a única diversão delas”, diz Graziela, destacando que o bairro, na zona leste, é distante da região central.
Vestiário do campo de futebol no Jardim Antônio Palocci em Ribeirão Preto
Maurício Glauco/EPTV
Para incentivar a prática de esporte e retirar as crianças das ruas, o empreiteiro Fabrício Marchetti Fabbris organizou um time de futebol no bairro há dois anos, mas o campo onde o grupo treina é distante e, segundo ele, isso desestimula os menores.
“Pelo menos para as crianças, para fazer a escola, seria bem melhor que fosse nesse local. Para as crianças descerem, andarem quase cinco quilômetros para jogar bola em outro campinho, não vão. É perigoso e longe. No bairro seria mais perto para todo mundo”, afirma.
Terrreno para construção do campo de futebol no Jardim Antônio Palocci em Ribeirão Preto
Maurício Glauco/EPTV
Veja mais notícias da região no G1 Ribeirão e Franca