Número de homens com diabetes mais que dobrou em 11 anos em Macapá

Brasil

Foi um crescimento de 118,7% de diagnósticos entre a população masculina, segundo levantamento do Ministério da Saúde. Número de homens com diabetes mais que dobrou em Macapá em 11 anos, diz Ministério da Saúde
HR/Divulgação
O número de homens diagnosticados com diabetes aumentou em 118,7%, ou seja, mais que dobrou em 11 anos em Macapá, segundo levantamento do Ministério da Saúde. Entre as mulheres o diagnóstico também aumentou, mas bem menos que entre os homens: 36,8% no mesmo período. Em todo o país, a capital do Amapá aparece como a 6ª capital com o menor número de pessoas com a enfermidade.
Os dados fazem parte de uma pesquisa feita pela Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel).
O diabetes é responsável por outras complicações da saúde, como a doença cardiovascular, a diálise por insuficiência renal crônica e as cirurgias para amputações dos membros inferiores, caso não ocorra o acompanhamento correto da doença.
Diabético há mais de 15 anos, o médico Alexandre Torrinha, de 59 anos, detalhou que a primeira mudança que ele precisou fazer foi ter que deixar de comer doces, o que ele preferia.
“O que muda principalmente é a dieta. Tem que restringir a alimentação, tudo que tem açúcar e o que se transforma em açúcar. No meu caso, eu ingiro, mas em pequenas quantidades, mas o correto é evitar totalmente. Acho que a pessoa perde em muito a qualidade de vida, porque há restrições. Eu, por exemplo, evito sair com a família para tomar sorvete”, contou.
Em 2017, 7% dos homens disseram ter diagnóstico de diabetes ao Ministério da Saúde, o que deixou Macapá com uma das maiores taxas de diagnóstico médico de diabetes no ano passado entre as capitais.
Por outro lado, 5,2% das mulheres alegaram ter diabetes em 2017, o que deixou a capital amapaense como a segunda com o menor percentual da doença entre as capitais brasileiras, à frente apenas de Palmas, em Tocantins.
O Ministério da Saúde também divulgou que, entre 2010 e 2016, 832 pessoas morreram com diabetes no Amapá. O número de mortes cresceu em 110% e a quantidade de internações diminuiu em 26% no período.

Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!