Sargento da PM preso por morte de amigo da ex-esposa é julgado no Amapá

Brasil

Abraão Jardim Machado participa de sessão na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Macapá, nesta quinta-feira (13). Crime cometido em 2016 teria sido motivado por ciúmes. Testemunhas são ouvidas pelo júri nesta quarta-feira (13), em Macapá
Jorge Abreu/G1
O sargento da Polícia Militar (PM) Abraão Jardim Machado passa por julgamento na manhã desta quinta-feira (13), em sessão plenária na 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Macapá. Ele é acusado de matar com um tiro, em 2016, o servidor público Gerson Martins, de 45 anos, amigo da ex-esposa.
A denúncia do Ministério Público do Amapá (MP-AP) sustenta que o crime foi passional, motivado por ciúmes, porque o militar teria encontrado a ex-esposa junto com a vítima após um culto. Em março, o réu teve o pedido de soltura negado pela Justiça.
Testemunhas são ouvidas diante do tribunal, sob a presidência do juiz Luiz Nazareno Borges Hausseler. Marcado inicialmente para maio, o júri precisou ser adiado devido ausência de defesa. Durante a espera pelo julgamente, o militar ficou preso no Centro de Custódia do Zerão, na Zona Sul.
Crime
Segundo o MP-AP, o sargento teria abordado o carro onde estava a ex-esposa e Gerson. Em seguida, disparou contra o peito do servidor. Ele ainda teria tentato matar a ex-companheira, mas fugiu com a chegada de populares ao local.
Ele permaneceu foragido por dois dias até que se entregou e foi levado para o Centro de Custódia, onde ficam presos políticos ou servidores públicos. Na época, o advogado do policial informou que ele reagiu para se defender, alegando que o servidor “simulou que sacaria uma arma”.
Réu entrou com pedido de soltura, mas Justiça negou
John Pacheco/G1
Tem alguma notícia para compartilhar? Envie para o Tô Na Rede!